6 de agosto de 2013

Confesso que por um vago momento...

 
 
Confesso que por um vago momento eu não entendi o que estava acontecendo ali. A boca permanecia fechada e não havia nenhum tipo de gesto. Só olhares. Uma orquestra de palavras dentro dos olhos dela, tentando emitir seu sons. Mas nada aconteceu, o silêncio tomou conta. Nenhuma nota e nenhum barulho sequer, escaparam daquele olhar mediano.” 
 
  Manuscrituras