28 de julho de 2013

Eu peço desculpa por chegar tarde...

Eu peço desculpa por chegar tarde, a estação estava cheia de almas vazias com destino a sua vida. Foi difícil me esquivar, amor. Pisei em pés calejados da caminhada, bati em ombros largos e pesados de cargas que se chegassem até você, creio que não suportaria carregar. Me desculpa pela demora, amor. Desculpa por chegar quando seu coração já não esperava por mais ninguém. Por me apoderar dele quando ele não estava mais afim de ser entregue. Por que eu furei a fila inteira pra chegar a tempo, acredite. Mas sou leve, amor. Tão leve que quase voou, quase não alcanço a porta. Mas cheguei, estou aqui. E mesmo que alguém errado tenha chegado antes, eu cheguei, amor. Estou aqui, agora. Então por favor, deixe-me entrar. Eu sei que travou a porta, e não acredita em palavras bonitas. Mas eu não te disse nada que não seja verdade. Eu sou errônea amor, eu faço tudo errado sempre. Mas eu esperei dias na fila pra chegar aqui, até vidas, se eu não me engano. Mas cheguei, e eu não queria voltar de mãos vazias. Eu não quero voltar. Entregue-me seu coração ferido, amor. Deixe-me cuida-lo, para que tão logo ele possa se abrir pra mim, talvez não por amor. Mas por carinho, por amizade. Deixa amor, eu cheguei tarde, eu sei. Mas amor, eu cheguei.
  Juliana Ribeiro.